Blog

A tecnologia como grande aliada do TDAH.
14 de janeiro de 2018


Ana Laura acabou de entrar na faculdade, portadora de TDAH, nem ela sabe como isso foi possível depois de tantas lutas com a falta de concentração, hiperatividade, impulsividade e comportamentos inadequados durante todo o tempo da sua vida escolar. Os pais então sentem um misto de alívio e apreensão, porque nem imaginam como serão os próximos anos, na dúvida se ela conseguirá vencer mais essa etapa e como será sua carreira profissional. Atentos a todas as possibilidades de tratamento e acompanhamento psicológico de sua filha, eles participam ativamente de cada etapa das suas pequenas e grandes vitórias.

É importante lembrar que o manejo do TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) depende do relato de informações sobre sintomas e comportamentos do dia a dia dos pacientes relatadas durante as consultas pelo próprio paciente ou seus familiares. Mas muitas vezes nosso cérebro acaba pregando uma peça em nossa memória e replica uma condição atual como uma verdade também do passado. Nesse caso o relato dessas informações acaba prejudicado, podendo impactar a conduta do médico.

Além disso, o sucesso no acompanhamento do TDAH requer a atenção e colaboração de diferentes profissionais e colaboradores no fornecimento de informações precisas sobre o dia a dia do paciente. Mas pela falta de uma ferramenta efetiva de comunicação, essa troca de informações acaba sendo dificultada ou mesmo não existindo. Essa falta de comunicação pode atrapalhar o sucesso do tratamento do TDAH reduzindo a adesão do paciente ao tratamento, e também seu acompanhamento por um especialista.

Há muito tempo, os pais de Ana Laura já entendem que são parte de todo processo de tratamento e se colocam naquela posição característica dos pais, ainda mais importante para quem tem filhos com TDAH: apoio emocional e incentivo para seguir em frente. Além de acompanhar Ana Laura nas consultas com especialistas, eles se informam constantemente sobre todas as novas possibilidades de tratamento. Agora estão buscando o suporte das tecnologias disponíveis para TDAH.

Eles sabem que vivemos em um mundo onde a tecnologia permeia quase tudo, com avanços disruptivos em todos os campos. Na saúde os impactos são muito positivos, trazendo novas possibilidades de tratamento e cura, com melhorias significativas na qualidade de vida dos pacientes. O desenvolvimento de aplicativos e o constante aperfeiçoamento da interação entre usuários e dispositivos mobile apresenta novidades que impactam o entretenimento e a educação. A aderência aos aplicativos é cada dia mais forte em todas as idades, especialmente crianças e jovens, com muitas vantagens no uso de aplicativos em educação¹ , como por exemplo:

  • Comunicação em tempo real entre estudantes, docentes, pais e uns com os outros;
  • Facilita a distribuição de tarefas e outros recursos audiovisuais pelo acesso à internet;
  • Ajuda a superar barreiras geográficas, tanto entre as pessoas como nas pesquisas de conteúdos.

Para os portadores de TDAH as novas descobertas do uso de tecnologias e aplicativos para déficit de atenção têm seu efeito positivo comprovado por estudos e pesquisas. Os pesquisadores até já criaram um portal que reúne os trabalhos científicos que articulam a aplicação das tecnologias computacionais aos estudos sobre TDAH: “Tecnologias Computacionais para TDAH”. O portal pretende facilitar o acesso dos profissionais aos documentos científicos, que formam uma biblioteca virtual de qualidade sobre o tema. Considerando que os portador de TDAH apresenta baixa tolerância à frustração, os pesquisadores consideram interessante oferecer mecanismos de recompensa imediatos para que ele se sinta motivado a insistir nas tarefas. De outra forma seus sentimentos de baixa estima, somados à falta de atenção, resultam no desinteresse pela atividade em pouco tempo. Por isso, a utilização de recursos de tecnologia, como jogos computacionais e objetos de aprendizagem abrem novas possibilidades de suporte ao tratamento.²

Focus, um aplicativo para o TDAH.

Comprovada a significativa contribuição do uso das novas tecnologias a favor do TDAH, faltava um aplicativo completo para apoio e suporte ao tratamento. Par suprir essa necessidade acabou de ser lançado o aplicativo FOCUS (http://focustdah.com.br/), desenvolvido pelo Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade (ProDAH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFR-GS) com apoio da empresa Shire.

A proposta do aplicativo FOCUS é justamente facilitar a comunicação e interação de diferentes colaboradores responsáveis pelo acompanhamento de pessoas com TDAH. Permitindo que através dessa interação, especialistas e responsáveis tenham informações precisas na avaliação e suporte adequado a pacientes. Sejam crianças, adolescentes ou adultos. O aplicativo foi desenvolvido para pacientes de todas as idades, mas é importante lembrar que a utilização para crianças e adolescentes deve ser feita por um adulto responsável. Considerado o melhor aplicativo para TDAH, tem uma dinâmica simples e intuitiva na qual os pacientes ou responsáveis convidam outros colaboradores a fazerem parte da rede de monitoramento.

O aplicativo não substitui o contato ou a relação médico-paciente, mas sim complementa com informações mais fidedignas do período entre consultas. As informações geradas, como monitoramento de sintomas e relato de eventos adversos, serão registradas para acompanhamento do médico ou profissional de saúde durante a próxima consulta. Ou seja, o app não alerta o profissional em tempo real, mas cria um registro fidedigno da condição do paciente. Em casos extremos recomenda-se o contato direto entre paciente e profissional. O FOCUS está disponível para Android e iOS e oferece muitos recursos para o usuário. As funcionalidades básicas do Aplicativo são:

  • Colaboração: Relato dos sintomas e eventuais efeitos adversos do tratamento do TDAH pelo paciente, familiares ou outros colaboradores.
  • Inteligência Médica: Acompanhamento em tempo real das informações reportadas em gráficos de fácil visualização para auxiliar na avaliação da conduta terapêutica.
  • Auto Conhecimento: A Avaliação Experiencial Momentânea é uma ferramenta que avalia em diferentes momentos do dia como está a atenção e como o paciente está se sentindo ao longo do dia.
  • Educação através da disponibilização de conteúdos e informações relevantes sobre TDAH de fontes importantes como: PRODAH, ABDA, CHADD, TRIAD, SHIRE, entre outros.
  • Gerenciador de Tarefas com Sistema de Recompensas: auxilia pais e pessoas com TDAH no planejamento e estabelecimento de prioridades do dia a dia.

Além disso, o gerenciador de tarefas organiza a vida do paciente, com uma agenda onde são cadastradas as tarefas do dia a dia vinculada a um sistema de recompensas. Assim, de acordo com a complexidade das tarefas, os pacientes ganham pontos que são depois trocados por presentes, o que os mantêm empenhados em cumpri-las.

Isso facilita muito o cotidiano dos portadores de TDAH, porque o déficit de atenção dificulta o controle, fazendo com que eles se esqueçam dos compromissos. Na prática funciona como uma agenda virtual com alertas no celular, mas na verdade é muito mais que isso. O fato de ser colaborativo é um dos grandes diferenciais do FOCUS, que permite aos professores, médicos, familiares e amigos apoiarem a captura de informações do dia a dia. O paciente ou seus pais podem criar e cadastrar no aplicativo uma rede de colaboradores que auxiliam no acompanhamento. Como o paciente apresenta diferentes comportamentos em cada ambiente, faz uma grande diferença a possibilidade de outras pessoas acompanharem suas atividades.

Se os pacientes sem déficit de atenção já apresentam alguma dificuldade de lembrar toda a sua rotina e relatar sintomas, para os portadores de TDAH esse desafio é ainda maior. Por isso, ter um aplicativo onde anotar tudo e que também pode ser compartilhado com a família e o médico, traz grandes avanços para o tratamento. Os registros de dificuldades e sintomas no dia a dia do paciente são muito importantes, porque o déficit de atenção impacta muito a rotina e quanto mais informações o médico puder acessar, mais pode auxiliar o paciente. A psiquiatra infantil e professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Maria Conceição do Rosário, afirma que isso “é interessante porque já pedíamos para o próprio paciente ou os pais contarem como ele se sente e as dificuldades que encontra no cotidiano, só que é um desafio anotar sempre ou lembrar de tudo na hora da consulta”.³

Enfim, o Focus funciona como um companheiro de apoio que relata todas as atividades e sensações para facilitar o acompanhamento terapêutico do paciente, impactando sua qualidade de vida.

Acesse: www.focustdah.com.br e baixe o FOCUS. O Aplicativo é gratuito.

 

Referências:
1. FUNDACION-CA-DAH. Uso de apps en la intervención del TDAH. Disponível em: <https://www.fundacioncadah.org/web/articulo/uso-de-apps-en-la-intervencion-del-tdah.html>. Acesso em: 11 Dez. 2017.
2. ANAIS-DO-WORKSHOP-DE-INFORMÁTICA-NA-ESCOLA. Tecnologias computacionais no auxílio ao aprendizado de portadores do TDAH. Disponível em: <http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/2017/1776>  Acesso em: 11 Dez. 2017.
3. BEBE-ABRIL. TDAH: Aplicativo ajuda o cotidiano de quem sofre com o transtorno. Disponível em: <https://bebe.abril.com.br/desenvolvimento-infantil/tdah-aplicativo-ajuda-cotidiano-quem--sofre-transtorno/#>  Acesso em: 11 Dez. 2017

Muito obrigado pelo seu comentário! Essa página é um projeto desenvolvido pela Shire Farmacêutica Brasil Ltda. Todos os conteúdos postados são moderados devido às normas que regulamentam as atividades da indústria farmacêutica (farmacovigilância, compliance, médica e jurídica). Obrigado!

Mantenha-se informado