Blog

Falo demais e não sei ouvir. Tenho TDAH?
16 de dezembro de 2019


Falo demais e não sei ouvir. Tenho TDAH?

Quando criança, Gisele falava sem parar. A mãe aflita com tanta conversa só tinha paz quando ela saía para brincar fora. Nada mudou na adolescência e agora, formada e iniciando sua vida profissional, ela percebeu que precisa ouvir mais e prestar atenção no que dizem os interlocutores. Com tantas inquietações sobre sua dificuldade de ouvir ela acaba de descobrir que falar demais é sintoma do TDAH e está fazendo testes para saber se é portadora do transtorno.

Falar demais e não ouvir atrapalha, e muito, o relacionamento com outras pessoas, especialmente no ambiente profissional. Entre os sintomas do TDAH observa-se o discurso impulsivo e a espontaneidade indesejada. Pessoas com TDAH falam sem parar, entram e saem da conversa ou apenas falam sobre si mesmas. Com isso deixam de ouvir com atenção o que o outro fala e não absorvem informações relevantes da conversa. Esse comportamento demonstra carência de habilidades de interação social, o que também é típico do TDAH.

Mas existem recursos para se tornar um melhor conversador, especialmente com a prática de escuta ativa e maior controle da necessidade de falar compulsivamente. É importante saber que a escuta não é uma atividade passiva, mas um processo ativo. Pessoas com TDAH precisam fazer um esforço consciente para ouvir o que alguém está dizendo e essa atitude faz com que o outro se sinta entendido. Quando você ouve atentamente demonstra para as pessoas que elas são importantes. Assim, conforme as suas habilidades auditivas melhoram, também melhoram os seus relacionamentos.

Calma, nem tudo está perdido, depois de passar por uma avaliação com um profissional de saúde para o diagnóstico do transtorno, você vai entender a relação entre as dificuldades para ouvir e o TDAH. Compreendendo melhor o que move o seu comportamento impulsivo fica mais fácil traçar algumas estratégias para moderar o que você fala e registrar o que ouve:1

  • Certifique-se de conhecer o tema antes de ingressar em uma conversa. Não fale até saber exatamente o que pretende dizer;
  • Não seja muito rápido para compartilhar informações íntimas. Ou melhor, evite sempre que possível;
  • Se você estiver com raiva, espere até se acalmar antes de ter uma discussão. Para não gritar quando estiver animado, respire fundo e tente um sussurro;
  • Se você ofender alguém, peça desculpas imediatamente;
  • Leve papel e lápis para reuniões importantes. Anote seus comentários e compartilhe-os com colegas de trabalho quando quiser;
  • Salve seus e-mails na pasta “rascunho” por 24 horas e leia novamente antes de enviar;
  • Quando perguntarem sua opinião, diga: “preciso de um momento para pensar sobre isso”. Um ou dois segundos são um bom tempo para encontrar uma resposta apropriada;

Você também pode seguir algumas dicas que ajudam a controlar a compulsão de expressar todos os pensamentos que passam pela sua mente hiperativa e impede que outras pessoas digam uma palavra, sem que você se dê um tempo para ouvir. Essa característica é muito comum em adultos inquietos com TDAH hiperativo e podem resultar em muitos conflitos para os relacionamentos.

Vejamos os desafios e estratégias que podem contribuir para o controle da fala compulsiva:2

1. Estratégias para o desafio de respirar:

  • Desacelere. A respiração entre as frases ajudará a controlar o fluxo de palavras que saem da sua boca e dará aos outros a chance de entender o que você tem a dizer;
  • Espere sua vez. Os “falantes” do TDAH têm dificuldade em controlar o impulso de interromper. Além de ser irritante para os outros, o comportamento dificulta o foco no que alguém está dizendo. Quando alguém estiver falando, concentre-se em esperar até que ele termine sua frase antes de você entrar na conversa;
  • Fale sobre o que você ouve. Quando alguém estiver falando com você, concentre-se em encontrar um ponto-chave para comentar, em vez de fugir em todas as direções. Isso permite que outras pessoas saibam que você está ouvindo, ajuda a acompanhar e abre as portas para a aceitação social;
  • Veja o que você ouve. Para pensar no que alguém está lhe dizendo, visualize a história em sua mente. Finja que você será questionado e precisará resumir a conversa;
  • Enquanto falar demais dificulta a escuta eficaz, não dizer o suficiente - comum em pessoas com TDAH desatento - pode ser igualmente problemático. Sua mente pode desviar do que está sendo dito. Ao falhar em participar da conversa, você demonstra que não está ouvindo, não entende ou, pior, apenas não se importa.

2- Estratégias para o desafio de seguir adiante:

  • Use sugestões não verbais, como acenos e sorrisos, para sinalizar que você está sintonizado;
  • Diga breves palavras ou sons, como “han-han “ ou “continue”, para incentivar a outra pessoa a continuar;
  • Procure oportunidades para comentar educadamente. Lembre que interromper não é educado. Se você precisar de mais tempo para processar seus pensamentos, peça à pessoa que está falando que faça uma pausa enquanto você decide o que dizer;
  • As conversas funcionam melhor como diálogos, não como monólogos. Quando você estiver envolvido em uma conversa, imagine uma gangorra em sua mente e lembre-se de que a diversão está nos altos e baixos;

3. Estratégias para o desafio de permitir que as outras pessoas participem da conversa:

  • Se você diz constantemente “eu”, “eu” e “o meu”, tente usar “você” e “o seu” com mais frequência;
  • Faça algumas perguntas que se aplicariam à maioria das pessoas com quem você está conversando: “Qual foi a melhor coisa que você fez hoje?”, “Como está sua família?”, “Você teve um bom dia no trabalho?”. Além de permitir brincadeiras de vaivém, isso ajuda você a se concentrar em alguém além de si mesmo;
  • Uma característica do TDAH desatento e hiperativo é um período de atenção que varia de uma coisa para outra sem nenhum aviso. Essa característica faz com que as pessoas se sintonizem e saiam durante as conversas e percam informações importantes. É especialmente prejudicial no trabalho, quando a pessoa que fala é seu chefe;

4. Estratégias para o desafio de reunir informações de uma conversa.

  • Diga isso de novo. Antes de iniciar uma tarefa no trabalho, repita o que ouviu para garantir que você entendeu corretamente e obtenha todas as informações;
  • Faça anotações. Se você estiver em uma reunião ou conversa no trabalho, anote as informações que ouvir. O ato de escrever o ajudará a ouvir;
  • Converse gravando, se possível;
  • Peça às pessoas com quem você conversa regularmente para repetir o que elas lhe disseram;

Enfim, se você não quer ser conhecido como o “grilo falante” da família ou da turma, menos ainda ser avaliado dessa forma no ambiente de trabalho. Use esses recursos, observe o que funciona melhor para moderar a sua necessidade de falar compulsivamente e tente ser mais atento ao que os outros falam. A recompensa pode ser imediata, com muito mais aceitação quando, eventualmente, você falhar nas tentativas de participar das conversas com mais equilíbrio entre falar demais e não saber ouvir;

 

 

Referências:
1 ADDITUDE. Open-Mouth,-Insert-Foot. Disponível em: <www.additudemag.com/why-do-i-say-stupid-things-rein-in-impulsive-adhd-speech/> Acesso em 17 de Novembro de 2019.
2 ADDITUDE. Are-You-Listening-?. Disponível em: <www.additudemag.com/adhd-listening-problems/> Acesso em 17 de Novembro de 2019.

Muito obrigado pelo seu comentário! Essa página é um projeto desenvolvido pela Shire Farmacêutica Brasil Ltda. Todos os conteúdos postados são moderados devido às normas que regulamentam as atividades da indústria farmacêutica (farmacovigilância, compliance, médica e jurídica). Obrigado!

Mantenha-se informado